Grandes Exploradores

Está tudo registrado, das realizações notáveis ​​do capitão James Cook, RN e suas três circunavegações sucessivas pelo mundo no século XVIII, à determinação e a paixão de Scott, Shackleton, Amundsen e muitos outros exploradores polares na virada do século 20, cujas expedições trouxeram ao mundo as primeiras imagens fotográficas dos polos; e da viagem intrépida realizada por Florence Baker e Mary Kingsley à África, no século XIX, à busca da elusiva Passagem do Noroeste; o acervo da Sociedade oferece a oportunidade de aprofundar seu conhecimento sobre o planejamento, o preparo e a execução das expedições para a Antártida ou para a África Ocidental, cobrindo um período de mais de 500 anos.


Expeditions of Legendary Explorers from the Past

Roald Amundsen

Prático, pragmático e implacavelmente ambicioso, Roald Amundsen foi um dos grandes exploradores polares do século 20. Apaixonado pela exploração do Ártico, ele é mais lembrado – ironicamente – por chegar antes do Scott ao Polo Sul, em 1911. Com um planejamento meticuloso, fortes habilidades de liderança e amplo conhecimento das técnicas da vida selvagem do povo Inuit, ele estava preparado para o sucesso, seja qual fosse o desafio, navegando pelas águas traiçoeiras do mar, atravessando calotas de gelo num trenó puxado por cachorros ou fazendo a primeira travessia do Ártico pelo ar, no

Expeditions of Legendary Explorers from the Past

Bering

O navegador dinamarquês Vitus Bering explorou o noroeste do Pacífico sob o patrocínio do czar russo Alexandre, o Grande. No início do século XVIII, esta vasta região ainda estava em branco no mapa. O czar havia enviado Bering para descobrir se a Ásia e a América estavam interligadas por terra. Durante sua segunda expedição em busca de uma ponte de terra, Bering descobriu o Alasca e as Ilhas Aleutas. Os recursos fornecidos pela Sociedade retratam os feitos de Bering, além de sua influência em outros exploradores do Extremo Oriente da Rússia daquela época,

Expeditions of Legendary Explorers from the Past

Mary Kingsley

Mary Kingsley nasceu em uma família de classe média alta, na Inglaterra vitoriana, e passou os primeiros 30 anos de sua vida como uma filha obediente. Seu pai, George, era um médico muito viajado, e Mary finalmente seguiu sua própria ambição de explorar o mundo, após a morte de seus pais. Sua principal motivação foi escapar das restrições impostas pela sociedade vitoriana, e para que suas viagens fossem vistas com mais respeito, ela comissionou ao Museu Britânico uma coleção chamada “peixes e fetiches”. Num feito praticamente exclusivo para uma mulher do seu tempo, ela viajou de forma

Expeditions of Legendary Explorers from the Past

Shackleton

A figura carismática e ambiciosa de Senhor Ernest Shackleton foi empreendedora de quatro expedições para a Antártida. Sua primeira experiência foi como membro da Expedição Antártica Nacional, de 1901 a 1904, liderada pelo capitão Scott, a bordo do Discovery, mas foi sua terceira expedição que o tornou famoso. A expedição quase terminou em tragédia, com seu navio, o Endurance, preso no gelo, mas num feito extraordinário, toda a tripulação voltou para casa são e salvos.